vivendo o presente ou #150diasprosmeus25

Semana passada, por curiosidade, eu fiz rapidamente as contas: a partir de hoje faltam 150 dias pro meu aniversário de 25 anos. Depois de ter reparado nesse fato, eu praticamente entrei em parafuso por alguns minutos. Andei pela casa, sem direção, refletindo nos significados que essa data pode ter. Eu lembrei do fio de cabelo branco que apareceu na minha cabeça há alguns dias – e que eu o retirei, lógico – e senti um frio na barriga… Confesso que senti medo. 

Há muito tempo eu percebo que eu sou uma pessoa nostálgica e sonhadora. Eu me afogo muito facilmente nas memórias boas que já construi, ao mesmo tempo que viajo um tempão nas ideias que crio para meu futuro. Eu me seguro no meu passado. E me perco ansiando pelo futuro. Dito isso, fica fácil reparar que pra mim às vezes, é difícil viver completamente no presente. E eu sei que muitas vezes não aproveito o presente da melhor maneira que eu gostaria.

Mas às vezes, acho que o aproveito bastante. Da minha maneira. Eu tenho essa mania: quando eu tô vivendo uma coisa muito legal, justamente no momento que eu tô vivendo aquilo, eu me imagino no futuro pensando naquele momento quando ele já virou passado. Será que deu pra entender? Isso acontece com muita frequência, e volta-e-meia eu me lembro daquele momento mesmo, que eu sabia que se tornaria uma boa memória.

OK. Acho que expliquei tudo isso pra que algumas coisas aqui façam sentido. O blog chama quando eu voltar porque se refere justamente a essa Juliana que está todo tempo pensando no futuro como se ele já tivesse passado. 

E é aí que eu me pergunto: poxa, bora viver o presente?!

O problema é que eu tenho medo. E foi isso que eu senti quando eu percebi o fato do início do texto – o medo de daqui a pouco estar com 25 anos. Acho que nunca tive medo de completar uma idade. É a primeira vez que me assusto assim. Isso porque eu sempre me senti totalmente jovem pra fazer qualquer coisa. Eu pensava “eu ainda não terminei a faculdade”, ou “eu ainda tô fazendo intercâmbio”, ou “ainda trabalho com meus pais”… e várias e várias vezes eu adiei o que eu realmente queria fazer por pensar que “eu ainda tenho muito tempo, depois eu lido com o que eu realmente quero, porque agora eu ____ insira aqui uma desculpa pra não fazer o que eu quero____”. 

Só que nem sempre é assim. Nem sempre você tem muito tempo. Ou melhor dizendo: você terá algum tempo, mas pra que ele frutifique, você tem que melhor aproveitá-lo. E isso está muito relacionado ao fato de você saber espantar o medo. O medo faz com que voce desperdice seu tempo e não produza aquilo que te faz feliz. O medo te afasta de quem você realmente é ou quem você quer ser e te desconecta do tempo presente. 

Então, pensando nisso eu me desafio no projeto #150diasprosmeus25. É um projeto super pessoal e eu ainda não sei se vou divulgar para alguém. ~eu tenho muita vergonha de me expor~

Eu sei que vão acontecer mudanças muito incríveis nesses 150 dias, porque eu tô numa fase diferente agora. Muito comigo mesma e com vontade de fazer muita coisa que deixei pra lá. Agora eu quero fazer com que muita coisa aconteça. E eu quero relatar tudo aqui.

Se você leu até aqui, obrigada por estar comigo É bom saber que não estou sozinha. E se você já sentiu algo parecido, compartilha comigo nos comentários? Vou adorar saber.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s